Educar, Promover, Emancipar

António Teodoro (Org.)
Autor
2001
Ano de edição
972-8296-68-1
ISBN

Organizado pelo Centro de Estudos Observatório de Educação e Contextos Educativos, realizou-se em Março de 2000 o 1º Colóquio de Ciências da Educação, Universidade Lusófona de Humanidades e tecnologias, sob o lema que dá título ao presente volume.

Não sendo um livro de actas, reúne um valioso conjunto de textos da autoria de alguns conferencistas convidados.

Embora com preocupações, problemáticas e modos de abordagem muito distintas, o livro agora editado passará a constituir, seguramente, um importante instrumento de apoio, reflexão e de incentivo à pesquisa de todos quantos, estudantes, educadores, técnicos, investigadores ou responsáveis políticos se encontram empenhados em encontrar sentido para a escola actual, enquanto instância de educação, de emancipação e de promoção humanas, como defenderia Rui Grácio, ou um espaço público capaz de ajudar a construir um mundo mais redondo, menos arestoso e mais humano, como diria Paulo Freire.

Índice

Nota de apresentação
António Teodoro
I
Educação, Democracia e Cidadania. Tensões e dilemas no mundo contemporâneo.
Carlos Alberto Torres
Comentário
Stephen R. Stoer
II
Cruzando fronteiras. Teoria, método e experiências freirianas.
Moacir Gadotti
III
Rui Grácio. Uma pedagogia de emancipação.
Rogério Fernandes
IV
Uma nova vontade política de relançar a educação e formação de adultos?
Alberto Melo
V
Especialização docente e pedagogia emancipatória.
João Formozinho
VI
Que formação de professores para uma escola crítica e emancipatória? A necessidade de recontextualizar a formação.
Manuela Tavares
VII
Escola, reprodução social e transformação. Teses diabólicas ou realidade do quotidiano escolar.
Carlos Alberto Torres
VIII
Perspectivas actuais da educação. Ideias para um debate.
Moacir Gadotti
IX
A escola como espaço público local.
João Barroso
X
Emancipação ou emancipações? A educação entre a crise das metanarrativas e hipervalorização dos projectos individuais.
Almerindo J. Afonso